Políticas Inclusivas promove encontro intersetorial para população em situação de rua

Na tarde da última terça-feira (12/02), membros de diferentes secretarias municipais e representantes da sociedade civil organizada estiveram reunidos na sede da Secretaria de Políticas Inclusivas, para dar início à proposta de elaboração de um fluxograma que permita o melhoramento do atendimento da população em situação de rua.

De acordo com a assistente social Mariana Frizieiro, que é Coordenadora Geral da Secretaria Políticas Inclusivas, este documento se tornará um pacto municipal construído de maneira coletiva e democrática. “A população de rua é uma das metas prioritárias de governo para os próximos dois anos, e este fluxograma precisa envolver a inserção da sociedade civil e a participação das mais diversas secretarias, identificando os serviços de referência e contrarreferência, procedimentos técnicos a serem adotados e encaminhamentos para rede de serviços”, explicou Mariana.

“Você não pode trabalhar políticas inclusivas sem o apoio da educação, da saúde, da habitação, da comunicação, da cultura, do esporte, do trabalho, dos direitos humanos, da assistência social, da economia solidária, dos representantes da sociedade civil e de tantos outros que puderem colaborar, porque as políticas inclusivas devem pensar no todo, e não queremos criar uma política fragmentada”, destacou a secretária de Políticas Inclusivas, Sheila Pinto.

Na proposta inicial, está a criação de um centro pernoite e de um centro dia, onde as pessoas em situação de rua farão suas alimentações e higiene, e terão atividades que irão resgatar a cidadania. “O centro de pernoite não será um abrigamento, ele servirá de referência e os centro dia servirão como um espaço para ressocialização deste público marginalizado, que perdeu a sua individualidade, seus laços familiares e de humanidade. Tentaremos dar visibilidade para eles, trabalhando a ressocialização de uma forma humanizada, com a expectativa de que eles tenham acesso a oficinas terapêuticas, oficinas de arte, oficinas lúdicas, oficinas práticas para reintegração social e familiar”, detalhou Sheila.

Entre outras muitas ideias apresentadas, a Coordenadora Geral da secretaria de Cultura, Simone Bezerra, falou sobre a possibilidade da pasta desenvolver algo que crie perspectiva de geração de renda, dentro de um projeto cultural. Andrea Cândida, que é assessora de Simone, parabenizou a iniciativa da secretária Sheila e acrescentou que não enxerga a secretaria apenas como uma política de inclusão social. “A minha leitura é de que esta é uma secretaria que inclui e traz todo o governo para dentro das suas atividades”, afirmou.

O coordenador da Secretaria de Trabalho (Sistema Nacional de Emprego – Sine de Maricá), Lauro Grafanassi se colocou à disposição para a reinserção das pessoas em situação de rua no mercado de trabalho, ressaltando que a empregabilidade é um triângulo composto por vaga, documentação e qualificação. “Nós procuramos ajudar as pessoas de toda forma, para que elas consigam voltar ou começar a trabalhar. Acreditamos estar na ponta do fluxograma, prontos para atuar assim que eles já houverem passado por toda a rede de acolhimento”, pontuou.

O fluxograma é um produto que será fechado até o mês de junho, com mais quatro encontros, sempre às segundas terças-feiras de cada mês.

Fotos: Katito Carvalho

Maricá Já Play. A sua informação em apenas um click

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s