Drenagem recente impede alagamento antigo em rua das Pedreiras

A obra de drenagem realizada entre o fim de março e o início deste mês no bairro Pedreiras mostrou resultado após a chuva que cai em Maricá desde a noite de segunda-feira (08/04). Pela primeira vez em anos, moradores da Rua Demétria Cardoso da Silva não viram a via ficar alagada depois de horas de chuva ao saírem de casa, manhã da última terça (09). A circulação de veículos e pessoas era normal e não havia água acumulada na via. Uma rede de manilhas medindo 1,20 metro de diâmetro foi instalada no local para escoar o acúmulo de água pela paralela Rua das Acácias, onde a rede segue até o desague no rio Mumbuca.

Quem vive na localidade quase não acreditou ao ver a rua sem alagamento. “Isso aqui era para estar cheio d’água desde ontem e ia demorar para escoar. Pelo que vejo já deu certo o trabalho aqui”, constatou o comerciante José Carlos Cardoso, de 60 anos, nascido e criado no local. O vizinho dele contou que, na chuva antes desta, teve de retirar água de dentro de sua casa utilizando um balde. “Agora encheu um pouco aqui no quintal mas foi só. Acho que vai melhorar agora, não vai mais alagar como antes”, projeta Eric Fabrício de França, de 19 anos, que mora com os pais. O motorista de ônibus Wanderlan Alcântara, de 61 anos, também se surpreendeu. “Acho que funcionou mesmo, porque não vi encher como antes aqui”, observou ele, que vive há 20 anos na via.

Já na região do Centro da cidade, a Rua Rodrigo do Amparo Rangel voltou a registrar um acúmulo de água, como ocorreu no fim de março, e foi a que mais deu trabalho à equipe da autarquia de Serviços de Obras de Maricá (Somar), que levou novamente bombas de sucção para retirar o alagamento. De acordo com a empresa, para resolver o problema na região será preciso fazer uma galeria com aproximadamente 500 metros de comprimento, que será ligada ao rio Mumbuca.

Também no Centro houve bolsões de água pontuais que drenaram rapidamente e parte do muro da entrada de um condomínio desabou. Em Jacaroá, outro muro de contenção também ruiu. Por toda a cidade, não foram registrados transbordamentos de rios e canais, que recebem ações constantes de limpeza em seus leitos e margens.

Alagamento

A situação mais grave foi registrada no loteamento Recanto 3, conhecido como ‘Mato Dentro’, em Itaipuaçu. Ao menos duas famílias tiveram de deixar suas casas em razão da enchente e foram para as casas de vizinhos e parentes próximos. Uma equipe da Somar esteve no local para tentar melhorar a vazão da água, mas o volume de água vindo da Serra da Tiririca foi grande. As ruas em pior estado eram parte da Rua Antônio Modesto de Sá (antiga 20) e as ruas 22, 25, 9 e 10.

Para as próximas horas, chuva prevista para Maricá é de fraca a moderada e deve ter por volta de 25 milímetros. A Defesa Civil Municipal recomenda que os moradores não fiquem em áreas que possam representar risco. “É importante evitar sair de casa e procurar sempre um local seguro. Nossas equipes estarão de prontidão através do telefone 199”, reforçou o coordenador geral da Defesa Civil, coronel Edson do Amaral.

Fotos: Marcos Fabrício

Maricá Já Play. A sua informação em apenas um click

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s