Saúde de Ponta a Ponta chega à Inoã

O projeto Saúde de Ponta a Ponta estacionou nesta quarta-feira (09/10), em frente à Lona Cultural Professor Luiz Carlos Viegas da Silva em Inoã. Para esta etapa, foram agendados cerca 200 exames pré-regulados pela Central de Regulação da Secretaria de Saúde.

Resultados de exames como ultrassonografia e eletroencefalograma eram entregues na hora. Já os pacientes que se submetiam a Raios x, densitometria óssea e mamografia eram comunicados que os resultados demorariam um prazo máximo de 15 dias, devido à necessidade de laudo médico.

Moradora de Inoã, Aparecida de Fátima (51 anos) aguardava para fazer sua ultrassonografia transvaginal e aprovou a iniciativa da Prefeitura. “É muito bom ter esse projeto aqui. Melhora muito para quem mora em Inoã. Se não fosse ele, eu nem sei para onde eu teria que ir para fazer meu exame”, disse.

Maria de Fátima Abreu (55 anos) foi encaminhada pelo posto de São José do Imbassaí, bairro em que mora. “Me ligaram para vir aqui hoje, aí vim e já fiz minha mamografia. O fato de ter esse projeto facilitou bastante, até porque para quem não pode pagar é uma ajuda muito grande”, declarou.

Aos 61 anos, Marilene Alcântara da Silva, do Flamengo, aguardava para realizar o mesmo exame. “Vim fazer minha mamografia. Isso aqui é muito importante para mim, para minha saúde. Eu já tive que fazer mamografia em outras cidades, já fui à Itaboraí, ao Rio, porque é de acordo com as vagas que conseguem. Um exame do coração, por exemplo, acabei encaminhada para Macaé, aí é muito mais longe”, lembrou.

“Poder fazer esses exames aqui foi muito bom mesmo, muito mais perto de casa. Vir para cá, foi melhor do que ir para o Rio. Porque a densitometria óssea eu teria que fazer no Rio e já tem dois anos que eu não faço”, frisou Suely de Sousa Nazário (71 anos), que mora no Marquês e também estava agendada para fazer um eletroencefalograma e um raio x.

Segundo a recepcionista Andressa Alporges, a procura é maior para a realização de mamografia (50) e ultrassonografia (60). Secretária de Saúde, Simone Costa e Silva explicou que a prioridade de atendimento neste caso seriam as pessoas que moram em Inoã, mas que moradores de outros bairros também seriam atendidos, uma vez que a demanda por exames já foi bastante reduzida com as duas primeiras ações do programa, em Itaipuaçu e Ponta Negra – com mais de 700 procedimentos realizados.

“Nós estamos trabalhando com o ‘Saúde de Ponta a Ponta’ para ficar mais próximo dos usuários. Não é saúde na sua porta ou do lado da sua residência, é mais próximo que em outro município, porque anteriormente os pacientes eram encaminhados para Itaboraí ou Rio de Janeiro”, pontuou.

Ainda de acordo com ela, existem na cidade unidades pequenas que não tem uma quantidade significativa de moradores para fazer os exames.

“E esses exames são regulados. Na regulação, existe um médico que determina dentro de vários exames, qual é o paciente que tem que fazer primeiro. Então, mesmo que os pacientes tenham mais de um exame, às vezes vai ser feito apenas um, porque a prioridade depende do diagnóstico do paciente. Eu acho importante destacar que várias pessoas entre 24 e 30 e poucos anos estão fazendo exames e diagnósticos precoces de câncer de mama na unidade móvel, inclusive sendo encaminhadas para biopsia”, esclareceu a secretária.

Fotos: Elsson Campos

Maricá Já Play. A sua informação em apenas um click

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s