Agentes de endemias participam de capacitação em parceria com a FioCruz

Uma parceria entre a Fundação Instituto Oswaldo Cruz (FioCruz) e a Prefeitura de Maricá está capacitando agentes de endemias que atuam no município no combate a doenças transmitidas por mosquitos como dengue, chikungunya e o zika vírus.

O curso de Atualização Profissional em Vigilância em Saúde para Enfrentamento das Arboviroses (como são conhecidos esses males) será ministrado a todos os profissionais do setor na cidade e, na última segunda-feira (21/10), 35 deles participaram de uma etapa prática sobre ecologia e identificação do mosquito aedes aegypti, no laboratório da Faculdade de Maricá.

A organização do curso foi da Secretaria de Saúde e da Empresa de Saneamento de Maricá (Sanemar), com apoio da Secretaria de Cidade Sustentável

A aula foi ministrada pela professora Tatiana Docile, que é doutora em Ecologia e professora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), além de integrar um projeto da própria FioCruz.

Para ela, o mais importante é mostrar a identificação principalmente das diferentes larvas de vetores dessas doenças. Além do aedes aegypti, há também o aedes albopictus, uma variação da espécie. São mostrados ainda os locais onde estes depositam seus ovos e as condições de ambiente.

“Isso ajuda na identificação e no combate a esses vetores e também a entender os hábitos e ciclos dos mosquitos. O trabalho dos agentes será ainda mais eficaz, e não é comum ver essa iniciativa em outros municípios”, ressaltou a professora.

De acordo com a coordenadora Débora Dias, o treinamento segue até fevereiro e vai chegar a todo grupo de agentes de saúde da rede municipal. “Este é o primeiro grupo. Vimos que era pertinente um treinamento para quem atua na ponta do sistema”, acrescentou ela, ao lado da veterinária Michele Ferreira, que atua no setor de Vigilância Ambiental. “Não se trata apenas de virar um pote com água parada e evitar a proliferação. Há um conhecimento por trás disso que é preciso repassar aos agentes”, afirmou.

Para quem participou da atividade, como Tiago Silva, entender as diferenças é um fator importante na melhoria do trabalho na rua.

“É uma experiência nova para mim, algumas coisas eu não sabia mesmo e vão ajudar bastante”, garantiu o agente, que tem 35 anos e mora em Santa Paula.

Já a moradora do Espraiado Ana Paula melo, de 25 anos, afirmou que sempre vale a pena se aprimorar. “Informação e conhecimento são sempre importantes e nos fazem trabalhar melhor”, disse ela.

Fotos: Elsson Campos

Maricá Já Play. A sua informação em apenas um click

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s