MIRENE ALVES A VOZ QUE TOCA O CORAÇÃO

Artista já se apresentou com grandes nomes da música brasileira

Professora de inglês e mãe de quatro filhos, Mirene Alves escolheu Maricá para viver. Em 1982, comprou um terreno na cidade para construir sua casa. “Sou moradora da cidade desde 1978, mesmo tendo a minha vida profissional no Rio de Janeiro. Trabalhei 33 anos na função que escolhi como vocação: o magistério .Tenho formação superior com licenciatura plena em Português, Inglês e Literatura, concursada pela Prefeitura do Rio de Janeiro e através do meu irmão conheci Maricá. Foi amor a primeira vista!Resolvi que era nessa cidade que ia acabar de criar meus filhos, uma forma de fugir da violência do grande Rio. E aí começa a minha história como a mais nova moradora de Maricá”, contou.
Mesmo aposentada, Mirene trabalhou regendo turma no CIEP Nossa Senhora do Amparo e no Colégio Euclides e também no Colégio Afonso Farias. No Euclides Paulo da Silva lecionava Inglês. ” Participei por um longo período através da Fundação José Ricardo (Funjor) dos programas do Gerdal dos Santos na Rádio Nacional, concorri ao Festival Chiquinha Gonzaga sob o comando da Vitória,na Unigranrio sendo duas vezes agra-
ciada com dois lindos troféus”, diz.
A música sempre foi uma paixão e se tornou uma atividade paralela. O que começou como um hobby acabou gerando uma renda extra. “Em Maricá formei um conjunto com os músicos da cidade. Passei a ser requisitada para me apresentar em restaurantes,bares, associações , clube. Foi então que apareceu Raul de Barros, O Trombone de Ouro do Brasil juntamente com Hélcio Brenha, saxofonista da D.Ivone Lara”, relembra.
Foi nessa época que passou a fazer eventos em várias partes do Brasil. O maestro resgatou alguns músicos da sua orquestra e saíam do Rio de Janeiro para São Paulo, Curitiba, Santa Catarina, Minas, Maranhão. Mirene lançou seu primeiro CD autoral em Minas Gerais , na cidade de Itabirito. O segundo CD no programa apresentado por Gerdal dos Santos, TV Brasil,o terceiro, no restaurante Beija-flor, no Parque Nanci em Maricá com o maestro Raul de Barros. O quarto CD no Maranhão na rádio FM. “Fiz temporada
de shows com o mestre Raul de Barros na Lapa no Carioca da Gema com Silvério Pontes, Zé da Velha, Raul de Barros e Netinho. Até que o Raul de Barros adoeceu.
Ela conta que Emilinha convidou Márcio Gomes que apresentou na pousada Carnaval fora de época e levou para a Praça do Turismo o encontro nacional de Seresteiros e esse evento aconteceu por dois anos com sucesso absoluto. Recebemos cantores Seresteiros de São Paulo, Minas, Curitiba e grande Rio. “Trabalhei no projeto ‘Sob o céu, sob o sol de Maricá’ onde me apresentava nas praças do município cantando acompanhada do violinista
7 cordas, Leonissa, morador nascido e criado na cidade e na percussão,
Evaldo Risadinha”, contou.
Sua casa virou o reduto da música.”A minha casa era visitada por vários cantores e cantoras o que me obrigava a convidar amigos e amigas para usufruírem dessas celebridades. E assim que transformei minha casa em pousada. Na pousada cantei com Carlos Colla, Elson do Forrogode, Marcos Moran, Emilinha Borba, Helena de Lima, Ellen de Lima, Eymar Fonseca, o grupo Chapéu de Palha: Walter Silva,Waldyr Silva, Silvério Pontes, Zé da Velha”, disse.
Atualmente ela se apresenta em Conservatória, onde faz a batalha de confete e o carnaval , participação no chorinho da Praça da Matriz em Conservatória aos sábados sob o comando de Toni Couto. Na Solarata aos domingos sob o comando de Aloísio e esporadicamente na Serenata sob o comando de Edgar e Roberto Velasquez. ” Faço show ‘Uma bossa filha
da mãe’ com a minha fi lha Dalva Alves uma vez por ano em Conservatória , onde cantamos bossa nova. Esse show será repetido em turnê nos Estados Unidos em setembro próximo”, conta.
Dalva foi a filha que puxou o lado artístico da mãe e é com ela que Mirene sempre canta em casa, apesar do repertório ser bem diferente. Ela mais da seresta e Dalva do pop rock.”Embora os shows sejam bem diferentes estilos musicais, resolvemos dividir o palco. “Pensamos em algo que fosse mais intimista e chegamos a Bossa Nova. Deu um bom caldo. Foi sucesso absoluto. Mãe e filha dividem o palco emocionando o público. Há anos atrás ela também dividia palco comigo cantando na orquestra no Armazém 5, no centro Rio e no SESC de Nova Iguaçu”, comentou.
Uma fase boa da sua vida e diga- se privilegiada, foi o período que cantou com Billy Blanco, um dos maiores precursores da Bossa Nova. “Fizemos vários show em Maricá. Muitas saudades dessas lembranças. Estou escrevendo um livro e isso tudo está tão vivo que parece recente e nisso já se passaram mais de dez anos.Estou transportando tudo isso que passei desde a infância que participava do programa na extinta TV Tupi, na Urca, o programa do vovô Odilon. Era um programa de calouros só para crianças e nessa época eu já soltava a voz. Eu era a queridinha do José Messias e foi ele que incentivou minha madrinha para que eu participasse do clube do Guri, como era chamado o programa. E foi onde tudo começou. Só que no livro eu não passo de um personagem”, finalizou.
No livro, Mirene promete contar com detalhes toda sua trajetória de vida e sua paixão pela música.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s