Maricá abre laboratório com UFRJ para realizar 300 testes/dia da Covid


Maricá dá mais um passo importante no combate à pandemia de Covid-19 nesta segunda-feira (25/05), com a inauguração do Laboratório de Diagnóstico Molecular no Posto de Saúde Central, no Centro da cidade. O novo equipamento, pioneiro no estado, tem capacidade para realizar até 300 testes de detecção do novo coronavírus por dia, com os resultados sendo conhecidos em 72 horas. A cerimônia acontece às 16h.
 
Com o novo laboratório, a Secretaria de Saúde do município passará a dispor de uma base de dados mais abrangente sobre o avanço da pandemia.
 
“Além de auxiliar a Secretaria de Saúde no combate à Covid 19, o laboratório será um importante ponto de apoio às pesquisas sobre virologia. Já em junho, iniciaremos pesquisas de campo, para estruturar o Mapa Virológico do município, um trabalho inédito em nosso país”, ressalta o diretor-presidente do Instituto de Ciência, Tecnologia e Inovação de Maricá (ICTIM), Celso Pansera.
 
O investimento da Prefeitura de Maricá na estrutura montada no Posto Central é de cerca de R$ 1,3 milhão. Posteriormente, o laboratório será levado para a área do Hospital Municipal Dr. Ernesto Che Guevara, onde serão investidos outros R$ 6 milhões para ampliar um Laboratório Virológico (LabVir), para pesquisas avançadas na área de viroses e arboviroses, como dengue, e apoio à formação de mestres e doutores em convênios com universidades.
 
A partir de junho, será iniciada a pesquisa domiciliar epidemiológica da Covid-19 na cidade, com exames em grande escala, para um levantamento estatístico utilizando critérios do IBGE (idade, renda e localização geográfica, entre outros). Desta forma, será possível elaborar e atualizar permanentemente um mapa da condição virológica dos moradores e, assim, dar ao poder público condições de antecipar possíveis crises sanitárias futuras e estabelecer políticas públicas.
 
A pesquisa domiciliar será feita entre junho e dezembro, em sete etapas, cada uma com 394 domicílios. Equipes formadas por técnicos de endemias e agenes de Saúde da Família visitarão as residências e coletarão amostras de um morador de cada domicílio para os testes.
 
Todo o trabalho é fruto de uma parceria entre o ICTIM e o Laboratório de Análise Molecular da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), e tem como como responsáveis técnicos o virologista a professor titular da UFRJ, Amílcar Tanuri, o professor da Unirio e pesquisador da UFRJ Marcelo Velho – também infectologista da rede pública de saúde de Maricá -, e a biomédica Andréia Ribeiro Costa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s